Páginas

domingo, dezembro 11, 2011

02do12


Dia 02 de dezembro de 1956, dia em que o iate Granma desembarcou na costa cubana com o Exército Rebelde de Fidel Castro, dia que se tornou o nome do Blog que eu e o Gabriel Veiga criamos e dia que traz um grande ensinamento em suas entrelinhas.

Meditei no acontecimento de 1956 e concluí que é extremamente importante conviver com pessoas que nos apoiam. É necessário ter amizades com aqueles que acreditam em nós e nos incentivam. Bom, pelo menos para mim é importante.

Fidel tinha despertado o sonho naquelas pessoas e os liderava rumo a uma guerra arriscada. O desembarque foi frustrante. Perderam parte dos suprimentos e três dias depois foram surpreendidos pelo Exército de Fulgêncio Batista.

Houve muitas baixas. Sobraram um pouco mais de vinte guerrilheiros, dos oitenta e dois que viajaram.

- É número suficiente para lutar e conseguir a independência de Cuba – disse Fidel.

Nunca vivi algo tão extremo, mas sempre busquei contextualizar algumas histórias com a minha realidade.

Lembrei do meu último semestre na Bolívia. Passei dificuldades que nunca havia vivido. Foram seis meses aprendendo com essas situações. Éramos duas pessoas, eu e meu amigo Magal, correndo atrás dos objetivos.

Magal acordava às seis da manhã para treinar e não perdia a esperança de jogar em um time profissional do campeonato Boliviano. Toda semana aparecia alguma proposta, mas eram somente palavras, nada concreto.

À noite, quando eu chegava da Faculdade, conversávamos sobre o nosso dia. Eram dias de vacas magras e o desânimo tomava conta. Perguntávamo-nos o porquê de as coisas não estarem saindo do modo como gostaríamos.

Então eu lhe dizia:

- Mano, não desanima não! Você ainda vai jogar no Real Madrid e eu vou trabalhar na CNN do México!

Eram sonhos que estavam distante dali. Sabíamos que dificilmente se realizariam, mas essas ideias nos davam força para trabalhar. Eram o nosso combustível!

Um detalhe que fez a diferença era que não estávamos rodeados de pessoas pessimistas para colocar barreiras em nossas mentes.

Não é muito agradável conviver com gente que na primeira oportunidade joga um balde de água fria no nosso sonho e, muitas vezes, nos faz parar e desistir da jornada.

Bom, as coisas pioraram, meu pai faleceu e resolvi voltar.

Hoje a realidade é outra, tenho mais mordomia e a dificuldade é não se deixar alienar pela mídia e pelo consumismo.

Sempre me animo quando me lembro dessas histórias. Elas me ensinaram que uma utopia faz bem quando nos faz andar.

Fidel animou os demais e conseguiu chegar ao seu objetivo dois anos mais tarde.

A Revolução Cubana me inspira. A beleza desse acontecimento histórico está nos detalhes. Dedicação, superação e extraordinária caminhada.

                                                 “Hasta la victória, siempre!" – Fuser


4 comentários:

  1. Sem dúvidas ter amigos que nos colocam pra cima, é essencial!
    Ouvi hoje no rádio, que tentaram assassinar Fidel um pouco mais de 600 vezes! esse tem proteção! Pensa! rs.
    bj Marquinho.

    ResponderExcluir
  2. Paulo Sérgio Gomes16 de dezembro de 2011 15:58

    Legal Marquinho: o Magal jogar no Real Madri eu não sei, mas você estar na CNN de qualquer país, não só na do México, é perfeitamente possível, basta ter em mente que se não houver as dificuldades, dificilmente valorizamos o que conseguimos, temos que perseverar sempre, independente dos obstáculos.
    Você é jovem, competente, tem muito tempo ainda para errar, sonhar e finalmente atingir seus objetivos.
    Tenho certeza que conseguirá realizar seus sonhos e objetivos.
    Tens aqui um amigo que acredita em você.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Quero que un dia tudo isso termine...e q tbm possa vencer essa guerra...mas soh quando eu terminar...jeje...voltar pra casa e dizer...eu soh n comi o pao q o diabo amassou na bolivia...pq Deus n quiz...mas engoli muita frustraçao, tristeza, solidao...um dia vai valer a pena.O magal no real madri, vc na cnn e eu em algum lugar do mundo onde haja desastres naturais...Dr. Yara Andrade.

    ResponderExcluir
  4. Tenhamos os amigos e os que acreditam, para nos acompanharem e incentivarem na caminhada em busca de nossos sonhos e comemorem conosco nossas vitórias.
    Mas tenhamos também os duvidosos e que não acreditam, pois eles serão nossos desafiadores e no mínimo terão que nos aplaudir quando chegarmos ao topo!

    A conquista só existe para os que sonham.

    ResponderExcluir