Páginas

sábado, julho 07, 2012

Era possível

Aquela mente possuía ideias extraordinárias.

Havia algo distinto, uma percepção mais aguçada, talvez.

Sonhava.

Imaginava que a desbotada parede branca do quarto poderia ser transformada em uma parede de ares esperançosos.

Sabia, claramente, que os móveis da sala clamavam por modificações, pois aquela mesma arrumação trazia más lembranças.

Sorria quando entendia que, ao ler poesias, luzes chegariam aos seus olhos.

Compreendia que o caminhar, ainda que seja em passos lentos, liberta da mesmice.

Também percebia que os copos novos que moravam no armário da cozinha e que esperavam uma data importante para serem usados,  lamentavam o desperdício de estarem mofando no quotidiano especial.

Mas, apesar de enxergar magnificamente e ansiar por dias melhores, havia um inquilino em sua alma que não permitia tais mudanças...

o medo!




4 comentários:

  1. Opa, muito bom o texto!!
    Bastante talento nas palavras!
    E, já tô seguindo você aqui ok.
    Me visite se puder, ficarei feliz.

    Boa semana pra você Marquinho!
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marquinho! Gosto muito de seus poemas, parabéns! Mas vou aproveitar esse comentário pra te fazer uma sugestão. Essas imagens que você põe no final dos poemas, tira a liberdade de interpretação. Se quiser prosseguir com elas, te indico colocar uma imagens mais abstratas..enfim! A sugestão tá feita!
    Abraço.
    Parabéns pelos poemas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luhanna! Valeu por acompanhar o Blog e muito obrigado pela sugestão, não tinha pensado nisso!
      Abração!

      Excluir